03 out 2022

Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios

Os dias mais frios são desafiadores para nós da avicultura, que devemos fazer um pouco mais no manejo para as […]

Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios

Os dias mais frios são desafiadores para nós da avicultura, que devemos fazer um pouco mais no manejo para as aves e enfrentar as mais duras mudanças de tempo durante dias e noites. Mas, quanto é eficiente esta preparação? Temos tecnologias e equipamentos, sistemas de aquecimento e estrutura de construções de aviários para nos ajudar neste desafio?

E chegou, juntamente com o inverno, a nossa dificuldade de aquecer as granjas, vedar de maneira satisfatória os aviários e usar estruturas de matérias e manejos mais efetivos para tornar o bem-estar das aves mais agradável e buscar resultados zootécnicos maiores se tornam assuntos frequentes e necessários nesta fase do ano. Sabem quais são as ferramentas mais importantes que temos em mãos?

Isolamento e vedação de aviários

Já sabemos que uma granja forrada, além de ajudar no isolamento do calor e frio que vem do telhado, com forro diminui o espaço físico, ou seja, a área a ser aquecida. Já não é protocolo de teste fazer um bom cortinado duplo para isolar das intempéries climáticas.

Dentre as tecnologias e os equipamentos que melhor devemos instalar de maneira correta nas granjas são as cortinas de vedação dos aviários. Elas devem ser, no mínimo, um cortinado duplo, bem instalado, esticadas, evitando dobras, uma no lado interno e outro no lado externo das colunas dos aviários. Em casos de uso de cortinas plásticas de rafia, é importante ter laminação dupla. Estas duas cortinas devem ter sua vedação em forma de envelope nas laterais e parte de cima, além de serem bem fixadas na mureta interna e externa dos aviários.

Outro ponto importante seria que as duas cortinas duplas devem abrir de cima para baixo, para que o ar mais frio entre sempre pela parte superior. O ar mais frio, mais denso e pesado, deve se misturar com o ar quente e menos denso que se acumula na parte superior interna dos pinteiros e assim fazer o propósito de se aquecer antes de baixar ao nível das aves, sem velocidade de vento e com temperatura mais alta. 

Os galpões convencionais de pressão positiva, que são a grande maioria na América do Sul, têm seus melhores resultados nos períodos frios pelo fato de fecharmos as cortinas, colocarmos cortinas duplas e ventilarmos minimamente para não perder o calor do pinteiro. Estes aviários muitas vezes ganham em performance no inverno dos modernos galpões climatizados. Mas, eles poderiam ter resultados ainda melhores com simples manejo de cortina de forma mais frequente durante a noite.

Continue após a publicidade.

Para produtores e funcionários fazerem o manejo, que é manual, a renovação do ar fica mais eficiente nestes tipos de aviários pela abertura sistemática das cortinas interna e externa, e esta abertura deveria ser mais frequente. Então, um mecanismo eletromecânico que controla a abertura e fechamento das cortinas, hoje já existente no mercado, faria este manejo de forma eficiente e automática durante todo o dia e de acordo com a necessidade de renovação mais frequente de ar dos pinteiros. Vejam as fotos ilustrativas abaixo.

Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios

Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios

Para galpões melhores climatizados, e o uso de inlets, janelas de entrada de ar

Todo ar frio e renovador deve entrar pela parte superior do ambiente. Por isto, nos galpões climatizados de pressão estática negativa sabemos da importância de utilizarmos os “inlets”, janelas de entrada de ar. Eles são usados para segmentar a entrada do ar ao longo da lateral dos aviários, fazer o ar entrar por cima dos pinteiros, aquecendo gradativamente o ar, que entra frio e mais úmido, e diminuir a umidade deste ar. Assim, conseguimos fazer os manejos de ventilação mínima e transição mais perfeito e eficiente para melhores condições ambientais dentro dos aviários.

Os inlets conseguem, de maneira efetiva e bem trabalhada, baixar até 75% da umidade do ar de fora para dentro da granja. Em números práticos e importantes, conseguimos manter as temperaturas mais aquecidas dentro das granjas, com baixíssima sensação de vento sobre as aves, e de maneira mais importante ainda para o controle de ventilação mínima e de umidade, baixamos em 25% a umidade relativa do ar interna da granja. Lembremos aqui que a umidade é a grandeza de maior impacto no manejo de ventilação e ambiência da avicultura.

Proteção para aves jovens, um bom empenamento

Vejam a seguir uma tabela de valor R de isolamento (coeficiente de troca térmica entre superfícies), do sistema tegumentar (pele) e a penugem jovem das aves e as diferenças de proteção que as penas vão dar às aves, de acordo com a idade, nas figuras abaixo.

[caption id="attachment_139575" align="aligncenter" width="641"] Figura 4 - Fotos de pintinhos com 3 dias, 13 dias, 33 dias, mostrando a diferença de proteção que as penas vão dar as aves apenas depois do empenameto completado.[/caption]

[caption id="attachment_139576" align="aligncenter" width="563"]Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios Fonte: Professor Brian Fairchild- UGA 2019. Figura 5 - Valo R de isolamentos das aves.[/caption]

É muito importante, então, manter as aves em sua mais perfeita condição de homeotermia, e não existe a temperatura ideal dentro do aviário para buscar isto, este conforto. O que precisamos observar sempre, e tentar manter mais próximo disto, desde o pré-alojamento, é um piso debaixo do material de cama em 28°C, a superfície da cama acima de 32°C, e o comportamento das aves vai dizer se os parâmetros estão dando condições para o conforto. Lembrem-se que buscamos, desde o nascimento até o 5°dia de vida, uma temperatura corporal desejada de 40 a 40,6°C das aves. E após o alojamento, segue uma tabela de temperaturas desejadas para elas.

[caption id="attachment_139577" align="aligncenter" width="465"]Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios Figura 6 - Tabela de temperatura desejada, ambiente e camas aquecidos.[/caption]

Sistemas de aquecimento 

A maioria das granjas de frangos de corte no Brasil utiliza a madeira como combustível, em forma de lenha, cavaco, briquetes e pellets. Também se aquece com gás, excelente aquecimento de cama pela radiação direcionada ao piso, maior uniformidade de temperatura ao longo do aviário, nas aberturas de espaços dos pinteiros, mas também altos custos e importante vedação e isolamento. 

Outras fontes para aquecimento espacial do ar, como:

  1. trocadores de calor,
  2. canos de água quente nas paredes abaixo dos inlets, ou no piso,
  3. aquecedores a óleo e elétricos,
  4. aquecedores ambientais a gás,

Já aparecem como outras opções, mas cada qual com suas especificidades de funcionamento.  

Como cálculos de aquecimento ambiental (espacial), um número sugestivo para regiões mais quentes é de, ao menos, 170 BTU´s/metro cúbico do aviário (43 Kcalorias/m³) dentro da área de recebimento, e para regiões frias, ou que ao menos tenham temperaturas abaixo de 10°C durante a noite, devemos usar no mínimo 230 Btu´s (58 Kcalorias/m³) de poder calorífico, contando toda a cubicagem do aviário para o sistema funcionar mais eficiente possível nas granjas. Já o aquecimento por irradiação, a relação indicada seria 600 Btu´s por metro quadrado de área a ser aquecida, fazer este cálculo com ao menos a área de 70% do aviário.

Garantir o aquecimento e depois a ventilação mínima 

Muitas vezes vemos vedações boas, mas é importante abrir as cortinas laterais com regularidade para o ar ser renovado. Muitas vezes não renovamos o ar por causa do frio, mas nos esquecemos que a qualidade dele vai atrapalhar o desenvolvimento das aves da mesma maneira que o frio e o vento vão retardar o crescimento e impactar no correto desenvolvimento de todos os sistemas corporais das aves.

Problemas respiratórios, traqueítes, aerossaculites, congestões pulmonares. Estes são problemas frequentes de baixa qualidade de ar, e que muitas vezes são consequências do frio e das ações do frio sobre as aves jovens. Como referência, baixas temperaturas podem aumentar a hipertensão pulmonar e aumentar a atividade da tireoide. Nesse contexto, a ascite pode aparecer desde o manejo das primeiras semanas e se tornar frequente durante as épocas frias (HERNANDEZ, 1987). Vejam que isto não é novo, mas os problemas ainda acontecem.

Por isso é muito importante fazer e promover regularmente uma troca de ar. O ideal é trocar, em média, a cada 5 minutos. E as recomendações para o verão são entre 450 e 1200 ppm de CO2. Já em períodos mais frios, o limiar pode aumentar para limites de 2500 ppm (bem administrados).

Ajuda de ventiladores circuladores e desestratificadores de ar 

Para uniformizar o calor no aquecimento, melhorar o aquecimento e economizar combustíveis de aquecimento, a instalação de ventiladores circuladores de ar (stir fans), que podem ser comuns ou verticais, pode ajudar. O importante é misturar o ar dentro da área de recepção.

[caption id="attachment_139578" align="aligncenter" width="572"]Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios Figuras 7 e 8 - Stir fans (ventiladores) modelos americanos, de 10 a 24 polegadas. E os ventiladores normas de 36 polegadas, que fazem o ar circular e se misturar.[/caption]

[caption id="attachment_139579" align="aligncenter" width="407"]Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios Fonte: Professor Michael Czarick- UGA – 2019. Figura 9 - Em azul a umidade relativa mais alta ao nível das aves, comparando em vermelho ao nível abaixo do forro, onde é mais quente e a umidade mais baixa.[/caption]

[caption id="attachment_139580" align="aligncenter" width="445"]Cobb destaca manejo de frangos de corte em dias frios Fonte: Michael Czarick- UGA – 2019. Figura 10 – Igualando a umidade, quando se liga os ventiladores circuladores e o ar começa a circular, a umidade diminui e se iguala desde logo abaixo do forro, até o piso.[/caption]

Conclusões

Em resumo, as tarefas mais importantes nas granjas são:

  1. manter as aves em homeotermia (temperatura corporal constante),
  2. oferecer aquecimento adequado,
  3. temperaturas desejadas,
  4. controle de umidade, vedando e isolando granjas,
  5. mantendo qualidade do ar, controlando a ventilação mínima e
  6. tentar ao máximo manter os parâmetros de conforto das aves.

Estas são condições simples e mínimas para termos bons e melhores resultados em nossas criações. 

Referências bibliográficas sob consulta junto ao autor.

Autor: José Luis Januário, especialista em Frangos de Corte e Ambiência da Cobb-Vantress na América Latina.

[caption id="attachment_119049" align="aligncenter" width="303"]Logo Cobb Acesse o site!![/caption]

Relacionado com Granjas & Manejo

MAIS CONTEÚDOS DE

Dados da empresa

REVISTA AVINEWS BRASIL

Assine agora a melhor revista técnica sobre avicultura

EDIÇÃO aviNews Brasil 3T 2022
Destinação correta das aves de descarte de reprodução, matrizes e de postura de ovos comerciais no final do ciclo

Destinação correta das aves de descarte de reprodução, matrizes e de postura de ovos comerciais no final do ciclo

Gustavo Triques
Importância da monitoria dos programas vacinais de Gumboro e Newcastle: Qual melhor momento da rotação de programa?

Importância da monitoria dos programas vacinais de Gumboro e Newcastle: Qual melhor momento da rotação de programa?

Tobias Filho
ICC: a inovação que alimenta o amanhã

ICC: a inovação que alimenta o amanhã

A importância dos dados Zootécnicos para as granjas produtoras de ovos

A importância dos dados Zootécnicos para as granjas produtoras de ovos

Diogo T. Ito
Vigilance Program uma poderosa ferramenta contra a Escherichia coli patogênica aviária

Vigilance Program uma poderosa ferramenta contra a Escherichia coli patogênica aviária

Fabrizio Matté
Alternativas de cereais para substituição parcial do milho na ração de aves – Parte II

Alternativas de cereais para substituição parcial do milho na ração de aves – Parte II

Dr. Elir Oliveira
Protocolo vacinal no incubatório e uniformidade do lote ampliam a produtividade avícola

Protocolo vacinal no incubatório e uniformidade do lote ampliam a produtividade avícola

Joyci Torres
EVANOVO®, a vacina que vai revolucionar a prevenção da Coccidiose aviária

EVANOVO®, a vacina que vai revolucionar a prevenção da Coccidiose aviária

Você está pronto para a Transformação Digital na avicultura?

Você está pronto para a Transformação Digital na avicultura?

Vinicius Teixeira
Extensão Rural: a força que vem do campo!

Extensão Rural: a força que vem do campo!

Kali Simioni
6ª FAVESU destaca os desafios e as oportunidades da Avicultura Nacional

6ª FAVESU destaca os desafios e as oportunidades da Avicultura Nacional

Juliano Rangel
A promoção que apoia as exportações

A promoção que apoia as exportações

Isis Sardella
O compromisso setorial e o papel de cada elo no Brasil

O compromisso setorial e o papel de cada elo no Brasil

Luis Rua
A jornada da sustentabilidade nas propriedades avícolas

A jornada da sustentabilidade nas propriedades avícolas

Luciana Abeid Ribeiro Dalmagro
Produção com responsabilidade

Produção com responsabilidade

Cleber Souza Martins
A Biosseguridade na avicultura

A Biosseguridade na avicultura

Tabatha Lacerda
Diferença na Fisiologia Embrionária entre as linhagens de Matrizes pesadas

Diferença na Fisiologia Embrionária entre as linhagens de Matrizes pesadas

Guilherme Seelent
Por que medir a taxa de fluxo (vazão) do bebedouro Nipple?

Por que medir a taxa de fluxo (vazão) do bebedouro Nipple?

Como atender à crescente demanda por proteínas livres de antibióticos?

Como atender à crescente demanda por proteínas livres de antibióticos?

Patrícia Marchizeli
Aerossaculite em frangos de corte: onde se iniciam e quais são os fatores envolvidos?

Aerossaculite em frangos de corte: onde se iniciam e quais são os fatores envolvidos?

Jorge Chacón

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE AVÍCOLA

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Os podcasts do setor agrícola em português
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agrícolaagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor agrícola e da pecuária