12 maio 2022

Cobb-Vantress defende conforto térmico no incubatório para melhor desempenho das aves

Na avicultura, o resultado de um lote já começa a ser definido desde o momento da incubação dos ovos e […]

Cobb-Vantress defende conforto térmico no incubatório para melhor desempenho das aves

Na avicultura, o resultado de um lote já começa a ser definido desde o momento da incubação dos ovos e vai até o transporte e alojamento dos pintinhos. Um bom manejo dos pintinhos vai resultar em aves mais resistentes. Por isso, o médico veterinário e especialista em Incubação da Cobb -Vantress na América do Sul, Guilherme Seelent, enfatiza a importância de utilizar equipamentos e técnicas que garantam as melhores práticas de bem-estar animal. “Qualquer estresse, mesmo que seja por pouco tempo, pode ser prejudicial. Isso se torna ainda mais relevante quando nos referimos a pintinhos produzidos sem uso preventivo de antibióticos”, reforçou.

Seelent explica que os pintinhos recém-nascidos não possuem plena capacidade de controlar sua temperatura corporal, portanto, dependem do bom manejo humano para terem conforto. É preciso ficar atento aos parâmetros de temperatura corporal (40º C a 40,6˚C) e evitar um sobreaquecimento. Em caso de sobreaquecimento, as aves vão evaporar água por meio de ofegação, prejudicando sua respiração, oferecendo um risco maior de desidratação e consequente perda de peso.

Segundo ele, o sobreaquecimento é a causa mais comum de desidratação em pintinhos (perda de calor latente) e, para evitar que os pintos sobreaqueçam, o monitoramento da temperatura deve abranger as etapas do nascedouro, processamento, sala de pintos e, por fim, no recebimento dos pintinhos na granja.

Cuidados no nascedouro

No nascedouro há estratégias específicas, sendo as monitorias da temperatura de cloaca, com um termômetro retal, 12 horas antes do saque e no momento do saque, são cruciais. O médico veterinário enfatizou a importância da manutenção rígida por meio de estratégias e uso de equipamentos adequados, evitando dessa forma tanto o aumento da temperatura corporal quanto uma possível queda, que é igualmente prejudicial ao desempenho dos pintos.

Dessa forma, se faz necessária atenção aos ajustes finos ao longo das estações do ano. “O controle de redução da temperatura junto com a abertura dos dampers talvez seja a ferramenta mais eficiente no controle da temperatura dos pintinhos nos nascedouros”, mencionou, destacando que os equipamentos à disposição do incubador já são pensados para atender demandas diversas, especialmente com relação ao conforto térmico.

Sala de Processamento

Continue após a publicidade.

O especialista da Cobb-Vantress ressaltou ainda que o cuidado deve ser estendido à sala de processamento para evitar sobreaquecimento. A temperatura no interior das caixas de transporte deve ser de, no máximo, 32ºC, sendo importante lembrar que a essa temperatura pode estar entre 6 e 12˚C (11 e 22˚F) acima da temperatura ambiente, ou seja, em sala com set-point de 24ºC, pode variar entre 30 e 36ºC. Por isso, é extremamente importante deixar espaço para que haja fluxo de ar entre as pilhas de caixas; como regra prática, o espaço entre as pilhas de caixas deve ser suficiente para que se possa andar por entre elas. Seelent também chamou atenção para o cuidado com a tampa das caixas.

“Se empilharmos dez caixas por pilha e a caixa de cima não tiver tampa, isso significa que 10% das aves estão passando frio ou 90% estão passando calor. A última caixa deve ser coberta com uma tampa ou com uma caixa vazia”, alertou. Da mesma forma, Guilherme Seelent destacou que a baixa umidade relativa do ar também acelera o processo de desidratação das aves. O ideal é manter a umidade relativa do ambiente em torno de 65% para manter a qualidade dos pintinhos.

Transporte

Assim como as etapas iniciais, o transporte merece cuidados especiais. É importante que os caminhões sejam adequados em questão de espaço, garantia de temperatura, circulação de ar, entre outros aspectos, bem como o motorista seja treinado para a atividade e possa acompanhar da sua cabine os indicadores de conforto do baú. “Um caminhão e acondicionamento das aves adequados, bem como um profissional comprometido no transporte fazem muita diferença”, garantiu Seelent.  Por fim, o desembarque deve ser rápido e os pintinhos precisam de acesso à água e ração de imediato. Caso sejam feitas amostragens de controle de qualidade e contagem, esses procedimentos devem ser realizados simultaneamente ao desembarque, por pessoal treinado.

o monitoramento de mortalidade por áreas do caminhão vai ajudar a projetar correções futuras no transporte. “O comportamento dos pintinhos é uma das melhores ferramentas para avaliar as condições climáticas e o conforto das aves. Os pintinhos deverão mostrar-se calmos, respirando normalmente pelas narinas, com pouco ruído social e distribuídos uniformemente na caixa. Ao serem soltos no aviário, os pintinhos devem estar ativos, se distribuírem de maneira uniforme e procurando calmamente por água e comida”, concluiu o profissional da Cobb-Vantress durante palestra realizada no Simpósio de Atualização em Avicultura realizado virtualmente pela Facta.

Sobre a Cobb-Vantress, LLC

A Cobb-Vantress, LLC torna a proteína de qualidade factível, saudável e acessível em todo o mundo. Nossa pesquisa e tecnologia inova a indústria global. Com sede em Siloam Springs, Arkansas, somos a empresa produtora de aves de corte de pedigree mais antiga do mundo. Distribuímos aves para mais de 120 países.

Para mais informações, acesse a nossa página, ou as nossas redes sociais na América do Sul, como Facebook (www.facebook.com.br/cobbamericadosul), LinkedIn (www.linkedin.com/company/cobbamericadosul/) ou Instagram (www.instagram.com/cobbamericadosul).

Acesse o site!!

Relacionado com Reprodução e Genética

MAIS CONTEÚDOS DE

Dados da empresa

REVISTA AVINEWS BRASIL

Assine agora a melhor revista técnica sobre avicultura

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE AVÍCOLA

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Os podcasts do setor agrícola em português
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agrícolaagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor agrícola e da pecuária