30 nov 2023

Cobb-Vantress destaca manejo para reduzir impacto do calor extremo na avicultura

Especialista defende manejo estratégico pode reduzir perdas de desempenho e mortalidade em granjas de aves em dias mais quentes

Cobb-Vantress destaca manejo para reduzir impacto do calor extremo na avicultura

Ventiladores, nebulizadores, área de sombreamento e flushing para disponibilizar água mais fresca para as aves. Estas são algumas das ferramentas de primeira hora que podem ajudar o avicultor a reduzir o impacto do calor no desempenho dos animais sem a necessidade de grandes investimentos, defendeu o especialista em Ambiência da Cobb-Vantress na América do Sul, José Luís Januário. O país já viveu até o mês de novembro quatro ondas de calor intenso, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Estas ondas de calor provocaram forte impacto no desempenho das aves, levando a mortalidade em casos extremos.

De acordo com meteorologistas do Observatório do Clima, o calorão é cada vez menos uma exceção e tem sido mais frequente nas últimas décadas, com termômetros atingindo os 40º C e trazendo prejuízos enormes para a agropecuária em geral e a avicultura em especial. Para se ter uma ideia, a previsão é chegarmos ao dobro de dias de calor extremo no ano até 2075. O desafio é enorme com novos recordes de temperaturas e alerta de grande perigo para 15 estados e o Distrito Federal emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

  • O calor foi intensificado pelo El Niño, fenômeno que deixa as águas do oceano mais quentes e a expectativa é de piora. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), conforme a temperatura média global aumenta, cresce também a frequência e a intensidade de ondas de calor.

Este cenário traz um desafio a mais para o produtor que deve enfrentar extremos de calor com frequência cada vez maior neste e nos próximos anos. Isso porque o estresse calórico impacta o equilíbrio metabólico das aves levando a perdas de desempenho em um primeiro momento e a mortalidade em casos severos. Assim, estratégias de manejo para reduzir perdas em dias mais quentes têm sido cada vez mais importantes. “Em primeiro lugar o produtor deve usufruir do vento. O galpão deve ter ventilação satisfatória, com número de equipamentos de ventilação adequados e ter nebulizadores, como estrutura convencional e mais simples, por exemplo”, afirmou o especialista.

 

Januário destaca que de 60% a 85% do calor da granja é produzido pelas próprias aves. “Quanto mais calor faz, mais condução e irradiação de calor para dentro dos aviários. E mais calor as aves emitem para o ambiente. Então, atuar em cima das aves é uma boa estratégia”, disse.

O especialista salienta, nos galpões convencionais em maior importância, e naqueles mais tecnificados também, os benefícios de uma localização leste – oeste dos aviários. “É para que o sol passe no sentido longitudinal do galpão”. Ele ainda ressalta a importância de ter, em média, um ventilador para área de 50 a 60 metros quadrados e um bico de nebulização para cada área de 10 a 15 metros quadrados de galpão.

Continue após a publicidade.

De acordo com ele, é importante oferecer velocidade de vento adequada, de 3,5 a 5 metros por segundo de velocidade de acordo com o comprimento do galpão. “As trocas de ar nos galpões mais climatizados, de exaustores, devem ocorrer desde a entrada até a saída entre 35 e 40 segundos. Por isso é necessário ter uma boa velocidade de ar”.

Sobre o posicionamento dos ventiladores, Januário explica que eles devem estar retos no galpão com a altura do motor a uma distância de 1,20 m a 1,50 m do piso, formando um ângulo de 90 graus. “Para obrigar a se criar um possível túnel de ventilação positiva e a troca de calor das aves por convecção, ou seja, o ar passando pelo corpo das aves, resfriando-as, e retirando este calor ao redor e sobre elas”.

E, se de um lado ventiladores e nebulizadores são ferramentas necessárias para combater os efeitos do calor intenso no desempenho dos animais, do outro lado, sombreamento com árvores (se possível), cortinas, telas “sombrites” e outros equipamentos, como forro de cortina abaixo dos telhados e materiais isolantes dessa superfície - desde o forro até o telhado do galpão - contribuem para reduzir a intensidade de radiação solar. “Porque o calor do sol entra também pelas laterais e principalmente pela grande superfície de contato ao meio externo do galpão, pelo telhado, onde nossa atenção deve ser ainda maior nas construções novas. Este calor é somado ao calor já emitido pelas aves no ambiente”.

 

Outro ponto importante é a água de bebida dos animais. De acordo com o especialista, a temperatura adequada para a água é de 18 a 24 graus. “Em dias quentes, a água fica na temperatura ambiente e é muito difícil manter isto, então seria necessário resfriar esta água. Contudo, um sistema de refrigeração de água pode ter um custo elevado para o produtor. Neste caso, ele pode mitigar estes efeitos com um processo de flushing, esgotando o encanamento de água para que ela esteja sempre nova e mais fresca. O flushing do sistema de água deve ser mais frequente nas granjas na primavera e no verão”.

Identificar o momento em que os animais começam a sentir os efeitos do estresse pelo calor é importante para o produtor iniciar um manejo para combater as perdas de desempenho. “Quando começam a sentir o calor, os animais se afastam uns dos outros, começam a abrir as asas e a respirar um pouco mais cansados. Estes são os primeiros sinais de que o estresse está se instalando”, afirma José Luis.

Segundo ele, o bico aberto indica que as aves já entraram em processo de perda de calor, e número de aves aumentando nesta situação, “assim já começa a comprometer o metabolismo e o equilíbrio termorregulador das aves. A ave entra em estresse calórico, iniciando todo o mecanismo para perder calor pela forma evaporativa do sistema respiratório, começa então a ter dificuldade para ganhar peso, reduz a produtividade, entra em exaustão e pode chegar à mortalidade por colapso cardíaco e respiratório em casos mais graves”.

 

O especialista ressalta, entretanto, que estas dicas são iniciativas de “primeira hora”, como mencionado no início do texto. “São medidas que ajudam o produtor a reduzir o impacto do calor extremo em galpões convencionais sem a necessidade de grandes mudanças. Contudo, vale ressaltar que investimentos em tecnologias de climatização têm sido mais eficientes e com bom retorno sobre o investimento”, afirma.

Ele destaca equipamentos modernos de climatização, como exaustores e painéis evaporativos que resfriam o ar que entra no aviário, por exemplo. “São mais caros, mas mais efetivos, mais eficientes. E, cremos, seria uma melhor opção para aqueles que estão em fase de estudos sobre melhorar rapidamente ou não”.

Considerando a perspectiva de meteorologistas do Observatório do Clima de aumento de dias mais quentes no médio e longo prazo, Januário aposta que pequenas alterações de melhorias, ou transformação total para climatizados, será uma das ferramentas mais importantes de evolução de processos, de construções, de manejo e de aprimoramento das relações entre os aspectos construtivos e de desempenho, da sustentabilidade, do bem-estar animal e, sobretudo, da eficiência produtiva da nossa avicultura.

 

Líder global em genética avícola, a Cobb-Vantress é a empresa mais antiga deste setor com mais de 100 anos de mercado. Com sede em Siloam Springs, no estado de Arkansas, nos Estados Unidos, está presente em mais de 120 países e se consolidou como uma das principais fornecedoras de matrizes de frangos de corte e serviços técnicos para a avicultura. Para contribuir com o desafio de alimentar o mundo com uma fonte de proteína animal de qualidade, saudável e economicamente viável, a empresa promove investimentos robustos em pesquisas e tecnologias para fornecer genética de ponta e melhoramento contínuo. Para mais informações, acesse a nossa página www.cobb-vantress.com, ou as nossas redes sociais na América do Sul, como Facebook (www.facebook.com.br/cobbamericadosul), LinkedIn (www.linkedin.com/company/cobbamericadosul/) ou Instagram (www.instagram.com/cobbamericadosul).

Fonte: Assessoria de Imprensa Cobb

Relacionado com Granjas & Manejo

MAIS CONTEÚDOS DE

Dados da empresa

REVISTA AVINEWS BRASIL
ISSN 2965-341X

Assine agora a melhor revista técnica sobre avicultura

EDIÇÃO aviNews Brasil 4º TRI 2023
Iamgen Revista Criação de aves poedeiras em sistemas alternativos

Criação de aves poedeiras em sistemas alternativos

Renato Passos
Iamgen Revista Avicultura 4.0: como as tecnologias podem ajudar

Avicultura 4.0: como as tecnologias podem ajudar

Rodrigo Galli
Iamgen Revista Saúde intestinal de frangos de corte – Novos tempos, novos desafios

Saúde intestinal de frangos de corte – Novos tempos, novos desafios

Jovanir Inês Müller Fernandes
Iamgen Revista Controle de qualidade em incubatórios: da capacitação a execução

Controle de qualidade em incubatórios: da capacitação a execução

Érica de Faria Melo
Iamgen Revista Biomarcadores intestinais e sua importância no uso de aditivos para saúde intestinal

Biomarcadores intestinais e sua importância no uso de aditivos para saúde intestinal

Wanderley Quinteiro Filho
Iamgen Revista O poder dos ácidos orgânicos na avicultura

O poder dos ácidos orgânicos na avicultura

Rafael Suzuki
Iamgen Revista A importância do cobre na saúde intestinal das aves

A importância do cobre na saúde intestinal das aves

Dra. Kelen Zavarize
Iamgen Revista Colonização precoce: ponto de partida para uma produção avícola segura

Colonização precoce: ponto de partida para uma produção avícola segura

Paulo Martins
Iamgen Revista Manejo de machos reprodutores para melhor desempenho

Manejo de machos reprodutores para melhor desempenho

Luciano Keske
Iamgen Revista Fatores que afetam o conforto e a viabilidade dos pintinhos, desde o nascedouro até o alojamento – Parte III

Fatores que afetam o conforto e a viabilidade dos pintinhos, desde o nascedouro até o alojamento – Parte III

Equipe Técnica Aviagen
Iamgen Revista Imunização no frango de corte para salmonelas paratíficas e seu benefício no frigorífico: existe alguma correlação?

Imunização no frango de corte para salmonelas paratíficas e seu benefício no frigorífico: existe alguma correlação?

Luiz Eduardo Takano
Iamgen Revista Pesquisas demonstram que vacina imunocomplexo de gumboro (IBD) diminui a resposta imunológica à bronquite infecciosa

Pesquisas demonstram que vacina imunocomplexo de gumboro (IBD) diminui a resposta imunológica à bronquite infecciosa

Equipe Técnica MSD
Iamgen Revista Saúde intestinal: tríade nutrição – microbiota – inflamação intestinal

Saúde intestinal: tríade nutrição – microbiota – inflamação intestinal

Equipe Técnica Phytobiotics
Iamgen Revista Melhore a saúde intestinal das aves com a tecnologia dos posbióticos

Melhore a saúde intestinal das aves com a tecnologia dos posbióticos

Maria Luiza Ruiz
Iamgen Revista A nova era da produção de perus de corte

A nova era da produção de perus de corte

Wellinton Molinetti
Iamgen Revista Glicosaminoglicanos (GAGS) como nutracêuticos para frangos de corte

Glicosaminoglicanos (GAGS) como nutracêuticos para frangos de corte

Profa. Dra. Julyana Machado da Silva Martins
Iamgen Revista Altos índices de carcaças condenadas? Entenda os fatores associados.

Altos índices de carcaças condenadas? Entenda os fatores associados.

Mariana André Pompeu
Iamgen Revista Melhorar o bem-estar de matrizes de frangos de corte para melhorar a produção

Melhorar o bem-estar de matrizes de frangos de corte para melhorar a produção

Equipe Técnica Ziggity
Iamgen Revista MAGFAN: Líder mundial em eficiência de ventiladores!

MAGFAN: Líder mundial em eficiência de ventiladores!

Equipe Técnica DACS
Iamgen Revista Uma análise mais detalhada das diferenças entre as vacinas contra a coccidiose

Uma análise mais detalhada das diferenças entre as vacinas contra a coccidiose

Roberto Soares
Iamgen Revista A importância da saúde intestinal das aves de postura e matrizes

A importância da saúde intestinal das aves de postura e matrizes

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE AVÍCOLA

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Os podcasts do setor agrícola em português
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agrícolaagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor agrícola e da pecuária