04 maio

Conferência FACTA vai debater desafios da avicultura

O aviNews Brasil conversou com o Diretor Executivo da FACTA, o médico veterinário Anselmo Micheletti, sobre as expectativas para o evento.

Conferência FACTA vai debater desafios da avicultura

De 23 a 25 de Maio, a cidade de Campinas (SP) sedia a 34ª edição da Conferência FACTA (Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas), que neste ano discute as questões relacionadas à superação dos desafios que a avicultura e vários outros segmentos da produção brasileira enfrentam devido à crise econômica. O aviNews Brasil conversou com o Diretor Executivo da FACTA, o médico veterinário Anselmo Micheletti, sobre as expectativas para o evento e alguns temas que estão em alta nas rodas de conversa sobre avicultura. Confira:

AN – Estamos chegando à 34a edição da Conferência FACTA. Como a FACTA avalia essa história de décadas de promoção de conhecimento? Qual o grande avanço percebido hoje em relação às primeiras Conferências?

 

Hansen abvista BR

Anselmo Micheletti é médico veterinário formado pela USP e Diretor Executivo da FACTA

Prêmio Lamas – trazendo e incentivando novos pesquisadores na Avicultura Brasileira com um olhar sempre renovado na busca de soluções de problemas;

Evonik 0722
Boehringer Brasil
Siavs Br-br
incubaforum

Cursos e Workshops  – abordando temas específicos com uma análise mais aprofundada;

Educação à distância – Cursos em plataformas web que permitirão a difusão mais rápida e eficiente de conhecimento;

Presença maciça em redes sociais – divulgação e retorno rápidos de informações que ajudam a alinhar sempre a Conferência com as expectativas do público.

Muito mais ainda virá…

 

AN – Qual o público alvo da Conferência? Como está o andamento das inscrições? Geograficamente falando, de onde vem o público da Conferência FACTA?

 

Anselmo – Nosso objetivo sempre foi atender a expectativa de todos os profissionais ligados à avicultura. Desde estudantes buscando uma porta de entrada no mercado e um espaço para a divulgação de pesquisas realizadas, à profissionais com longo tempo de trabalho buscando conhecimento e novas tecnologias aplicáveis a suas empresas. O público da Conferência, falando de sua distribuição geográfica, é bastante heterogêneo. Quase todos os estados estão representados. Também atingimos países da América do Sul que  enviam participantes como Paraguai, Bolívia e Argentina.

 

AN – Como se dá a escolha dos temas a serem debatidos nas Conferências?

 

Anselmo – A Conferência do ano seguinte inicia-se imediatamente ao término da Conferência do ano atual. O Corpo Técnico da FACTA – composto por representantes de todas as áreas produtivas da Avicultura e atuando em empresas ou entidades de pesquisa e ensino – avalia todos os dados da Conferência anterior e busca, em suas bases de trabalho, os temas que estão gerando impacto em sua atuação. Também são avaliados temas que podem se tornar problemáticos no futuro próximo. Todos estes dados são avaliados e discutidos pelo Corpo Técnico e para os que são considerados como mais importantes para o setor são buscados os melhores técnicos ligados a estes temas.

 

AN – Qual a pauta principal da Conferência 2017 e como se deu a escolha desse tema?

 

Anselmo – O tema macro da Conferência 2017 é “Avicultura Brasileira – Superando Desafios”.  Desde algum tempo atrás estavam se delineando no horizonte vários desafios (logística, economia decrescente, problemas sanitários emergentes entre outros) que criariam obstáculos que deveriam ser superados. A FACTA, por meio de seu Corpo Técnico, percebeu este movimento e buscou profissionais que pudessem apresentar novas visões buscando superar estes desafios.

 

AN – Quais os principais desafios sanitários da avicultura brasileira? Qual a avaliação da FACTA sobre como eles vêm sendo enfrentados no Brasil?

 

Anselmo – A globalização reduz distâncias físicas e virtuais fazendo com que problemas sanitários em qualquer parte do mundo possam representar desafios – e também oportunidades – em qualquer outra parte do mundo. O Brasil vem, há bastante tempo, mantendo seu plantel avícola em padrões de sanidade invejáveis em nível mundial, garantindo a participação de nossa produção em todo o mundo. Novos desafios sempre surgirão e os profissionais brasileiros da área, quer sejam dos órgãos de controle, quer sejam das empresas produtoras, têm estado preparados para estes desafios. Repensar e buscar novas maneiras, mais eficientes e rápidas para controlar e responder a possíveis desafios sanitários é uma “lição de casa” que deve ser feita constantemente por todos os envolvidos. Transparência e rapidez nas respostas são as palavras chave para uma resposta eficiente contra qualquer desafio sanitário.

 

AN – Em termos da produção de aves livres de antibióticos, qual o cenário do Brasil? Qual o principal desafio do País no que diz respeito a essa que é uma tendência mundial?

 

Anselmo – A produção de aves livres de antibióticos é uma demanda do mercado consumidor em vários países. A avicultura vem buscando atender coerentemente as demandas deste mercado, quer seja no mercado interno quer seja no mercado exportador. O grande desafio é conseguir entender e balancear as expectativas do consumidor com os custos de produção, utilizando as inúmeras alternativas existentes no mercado para esta produção. O Brasil está atendendo bem esta demanda conforme ela vai se formando, porém ela ainda é bastante sujeita a mudanças, já que o próprio consumidor ainda não define claramente o que pretende e qual o valor pretendido para este produto.

 

AN – Em termos de tecnificação da produção avícola. Como está o cenário brasileiro?

 

Anselmo – A tecnificação da produção avícola brasileira, apesar dos problemas e incertezas econômicas do país que tornam difícil estabelecer planos de investimento de longo prazo sustentáveis, segue crescendo. A busca de menores custos de produção com confiabilidade de resultados através do tempo demanda que este caminho de tecnificação seja seguido. A velocidade do deslocamento neste caminho é maior ou menor de acordo com a realidade que se apresenta, mas os passos nunca são para trás, sempre para frente.

 

AN – Quais os principais desafios da avicultura brasileira nos próximos anos?

 

Anselmo – Vários desafios estão se apresentando no horizonte – entender e responder aos anseios de um consumidor movido por fatores muitas vezes mais emocionais que racionais, superar os desafios de logística para atender exportações para novos mercados que se apresentam, manter o status sanitário de nosso plantel em um mundo em que a dispersão de agentes é cada vez mais rápida, entre outros. Porém, os profissionais brasileiros sempre conseguem buscar as melhores soluções ao seu alcance para superar estes desafios. A FACTA, alinhada com sua missão,  seguirá apoiando a avicultura brasileira nesta busca de soluções para estas demandas.

 

 

*Anselmo Micheletti é médico veterinário formado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, especializado em Gestão da Qualidade em Agropecuária pela Universidade Federal de Lavras e possui MBA em Gestão e Administração de Negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Desde 2009 é Gerente Técnico da Aviagen América Latina. Eleito para o biênio 2017/2018 como Diretor Executivo da FACTA (Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas)

cargill
Ceva
Vetanco BR
cobb br
Relacionado com Eventos
HENDRIX br

REVISTA AVINEWS BRASIL

Assine agora a melhor revista técnica sobre avicultura

EDIÇÃO aviNews Brasil 3T 2022
Destinação correta das aves de descarte de reprodução, matrizes e de postura de ovos comerciais no final do ciclo

Destinação correta das aves de descarte de reprodução, matrizes e de postura de ovos comerciais no final do ciclo

Gustavo Triques
Importância da monitoria dos programas vacinais de Gumboro e Newcastle: Qual melhor momento da rotação de programa?

Importância da monitoria dos programas vacinais de Gumboro e Newcastle: Qual melhor momento da rotação de programa?

Tobias Filho
ICC: a inovação que alimenta o amanhã

ICC: a inovação que alimenta o amanhã

A importância dos dados Zootécnicos para as granjas produtoras de ovos

A importância dos dados Zootécnicos para as granjas produtoras de ovos

Diogo T. Ito
Vigilance Program uma poderosa ferramenta contra a Escherichia coli patogênica aviária

Vigilance Program uma poderosa ferramenta contra a Escherichia coli patogênica aviária

Fabrizio Matté
Alternativas de cereais para substituição parcial do milho na ração de aves – Parte II

Alternativas de cereais para substituição parcial do milho na ração de aves – Parte II

Dr. Elir Oliveira
Protocolo vacinal no incubatório e uniformidade do lote ampliam a produtividade avícola

Protocolo vacinal no incubatório e uniformidade do lote ampliam a produtividade avícola

Joyci Torres
EVANOVO®, a vacina que vai revolucionar a prevenção da Coccidiose aviária

EVANOVO®, a vacina que vai revolucionar a prevenção da Coccidiose aviária

Você está pronto para a Transformação Digital na avicultura?

Você está pronto para a Transformação Digital na avicultura?

Vinicius Teixeira
Extensão Rural: a força que vem do campo!

Extensão Rural: a força que vem do campo!

Kali Simioni
6ª FAVESU destaca os desafios e as oportunidades da Avicultura Nacional

6ª FAVESU destaca os desafios e as oportunidades da Avicultura Nacional

Juliano Rangel
A promoção que apoia as exportações

A promoção que apoia as exportações

Isis Sardella
O compromisso setorial e o papel de cada elo no Brasil

O compromisso setorial e o papel de cada elo no Brasil

Luis Rua
A jornada da sustentabilidade nas propriedades avícolas

A jornada da sustentabilidade nas propriedades avícolas

Luciana Abeid Ribeiro Dalmagro
Produção com responsabilidade

Produção com responsabilidade

Cleber Souza Martins
Biosseguridade na avicultura

Biosseguridade na avicultura

Tabatha Lacerda
Diferença na Fisiologia Embrionária entre as linhagens de Matrizes pesadas

Diferença na Fisiologia Embrionária entre as linhagens de Matrizes pesadas

Guilherme Seelent
Por que medir a taxa de fluxo (vazão) do bebedouro Nipple?

Por que medir a taxa de fluxo (vazão) do bebedouro Nipple?

Como atender à crescente demanda por proteínas livres de antibióticos?

Como atender à crescente demanda por proteínas livres de antibióticos?

Patrícia Marchizeli
Aerossaculite em frangos de corte: onde se iniciam e quais são os fatores envolvidos?

Aerossaculite em frangos de corte: onde se iniciam e quais são os fatores envolvidos?

Jorge Chacón

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE AVÍCOLA

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Os podcasts do setor agrícola em português
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agrícolaagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor agrícola e da pecuária