09 set 2021

Kemin debate desafios e oportunidades de fábricas de ração com custos elevados

São diversas as ferramentas estratégicas que podem contribuir com fábricas de ração para reduzir o impacto dos preços elevados das […]

Kemin debate desafios e oportunidades de fábricas de ração com custos elevados

São diversas as ferramentas estratégicas que podem contribuir com fábricas de ração para reduzir o impacto dos preços elevados das matérias-primas nos custos de produção, defendeu o pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Everton Krabbe, em webinário sobre Desafios e Oportunidades para Fábricas de Ração realizado pela Kemin.

O especialista destaca momentos desafiadores dos últimos meses para a cadeia produtiva em função da escalada nas cotações dos principais insumos de produção. “Um levantamento da Central de Inteligência da Embrapa aponta que o impacto da nutrição nos custos atingiu 75% para frangos de corte e até 81% para suínos. É extremamente elevado. Eu não me recordo de nenhum momento anterior onde chegamos em níveis tão elevados. Por isso é tão importante ter estratégias neste cenário”, salienta Krabbe.

ração

E, mesmo com este quadro, ele ressalta que as perspectivas são positivas para a produção de aves e suínos. “Em cenário para os próximos 10 anos traçado pela Embrapa, juntamente com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), as projeções são de crescimento na produção de carne de frango na ordem de 28% enquanto a de carne suína deve aumentar 28% e a área plantada deve ser 17% maior. O Brasil é um país extremamente competitivo e com uma grande perspectiva para o futuro”.

Desafios e Oportunidades

“O momento é desafiador, mas desafios também trazem oportunidades. Então é importante estarmos atentos, pensar estrategicamente porque temos oportunidades para melhorar desempenho, eficiência e reduzir perdas ao longo do processo de produção”, disparou a zootecnista e coordenadora de Produtos para Monogástricos da Kemin na América do Sul, Gisele Neri.

No quesito redução de perdas, Krabbe pontua que hoje cerca de 90% dos desafios são oriundos da incidência de micotoxinas, microrganismos e oxidação. “São os maiores desafios que enfrentamos sistematicamente dentro da indústria. Isso pode causar problemas diretos ou indiretos no produto final. Às vezes não acometem os animais, mas comprometem a qualidade e a segurança dos alimentos que estamos produzindo e que vai para o consumidor final”, declara o pesquisador.

De acordo com ele, estes fatores evoluíram muito e parte dos problemas estão ligados a fatores que não controlamos, como o clima, por exemplo. “Micotoxinas e outros microrganismos são dependentes de aspectos climáticos e isso é difícil de controlar”, afirmou lembrando que nas aves a contaminação microbiológica pode ocorrer em diversos momentos, com diferentes agentes, como pragas, cama aviária, aves recriadas, caminhões, ambiente, incubadoras, humanos, animais e alimentos, por exemplo. “Precisamos ter um conjunto de medidas preventivas”, salientou.

Continua después de la publicidad.

Prevenção e Controle de Salmonela

Um bom programa de prevenção e controle de Salmonela, que lista no topo das preocupações do setor, ganha importância ainda maior neste momento em que é necessário reduzir perdas durante a cadeia. “As bactérias, principalmente a Salmonela, estão presentes em todos os elos da cadeia de produção. A contaminação pode surgir através dos animais. Os humanos podem trazer os patógenos para dentro dos processos de produção. E eles podem vir através de pragas, ar (pó), água e alimentos”.

Krabbe ressalta que os riscos de contaminação existem ao longo de toda a cadeia produtiva, desde a lavoura, e podem ocorrer em qualquer etapa. “O risco está ligado a questões como clima, solo, manejo, uso de diferentes tipos de fertilizantes e, inclusive, na irrigação. E quanto mais manipulamos estes alimentos, quanto mais estes alimentos tiverem interação com processos e seres humanos, maiores são as probabilidades de contaminação. Por isso é importante trabalhar na prevenção. Previnam-se porque problemas podem ingressar ao longo do processo”, disse.

ração

Caracterizar bem os alimentos produzidos, os ingredientes e trabalhar durante o processo foi o conselho do especialista aos participantes. “Existem tecnologias para isso. Temos máquinas e ferramentas de análises. Existem aditivos alimentares, como antimicrobianos para reduzir a carga bacteriana que pode representar um desafio. Existem surfactantes e programas específicos, que aumentam ou beneficiam o processo de gelatinização e de condicionamento no alimento”, pontou Krabbe.

Ele encerra destacando ainda outras ferramentas importantes. “Existem as enzimas, que junto com a caracterização adequada, podem contribuir com redução de custos. Temos os antioxidantes que são fundamentais para prevenir a oxidação, que é mais uma perda que acontece e pode ser prevenida. Existem os sequestrantes de micotoxinas que são importantes. Tão importantes que vimos que estes problemas entram por maior que seja o nosso nível de controle de qualidade”, encerrou.

Sobre a Kemin Industries

A Kemin Industries é uma empresa global de ingredientes, que se empenha diariamente em transformar de maneira sustentável a qualidade de vida de 80% da população mundial com seus produtos e serviços. A empresa possui mais de 550 ingredientes patenteados para saúde e nutrição humana e animal, alimentos para animais de estimação, aquicultura, nutracêuticos, tecnologias alimentares, tecnologias agrícolas e indústrias têxteis.

Kemin se dedica ao uso da ciência aplicada para enfrentar os desafios do setor e oferecer soluções de produtos para clientes em mais de 120 países. A Kemin® fornece ingredientes para alimentar uma população em crescimento, com seu compromisso com a qualidade, segurança e eficácia de alimentos, rações e produtos relacionados à saúde.

Fundada em 1961, a Kemin é uma empresa privada, de propriedade e operação familiar, com mais de 2.800 funcionários e operações globais em 90 países, incluindo instalações de fabricação na Bélgica, Brasil, China, Índia, Itália, Rússia, São Marinho, Cingapura, África do Sul e Estados Unidos. Outras informações sobre a Kemin podem ser encontradas na sua página (www.kemin.com), ou nas redes sociais LinkedIn (www.linkedin.com/showcase/kemin-animal-nutrition-&-health-south-america/) e Facebook (www.facebook.com/keminamericadosul).

Fonte: Agronotícia

Relacionado com Nutrição Animal

MAIS CONTEÚDOS DE

Dados da empresa

REVISTA AVINEWS BRASIL

Assine agora a melhor revista técnica sobre avicultura

EDIÇÃO aviNews Brasil 3T 2022
Destinação correta das aves de descarte de reprodução, matrizes e de postura de ovos comerciais no final do ciclo

Destinação correta das aves de descarte de reprodução, matrizes e de postura de ovos comerciais no final do ciclo

Gustavo Triques
Importância da monitoria dos programas vacinais de Gumboro e Newcastle: Qual melhor momento da rotação de programa?

Importância da monitoria dos programas vacinais de Gumboro e Newcastle: Qual melhor momento da rotação de programa?

Tobias Filho
ICC: a inovação que alimenta o amanhã

ICC: a inovação que alimenta o amanhã

A importância dos dados Zootécnicos para as granjas produtoras de ovos

A importância dos dados Zootécnicos para as granjas produtoras de ovos

Diogo T. Ito
Vigilance Program uma poderosa ferramenta contra a Escherichia coli patogênica aviária

Vigilance Program uma poderosa ferramenta contra a Escherichia coli patogênica aviária

Fabrizio Matté
Alternativas de cereais para substituição parcial do milho na ração de aves – Parte II

Alternativas de cereais para substituição parcial do milho na ração de aves – Parte II

Dr. Elir Oliveira
Protocolo vacinal no incubatório e uniformidade do lote ampliam a produtividade avícola

Protocolo vacinal no incubatório e uniformidade do lote ampliam a produtividade avícola

Joyci Torres
EVANOVO®, a vacina que vai revolucionar a prevenção da Coccidiose aviária

EVANOVO®, a vacina que vai revolucionar a prevenção da Coccidiose aviária

Você está pronto para a Transformação Digital na avicultura?

Você está pronto para a Transformação Digital na avicultura?

Vinicius Teixeira
Extensão Rural: a força que vem do campo!

Extensão Rural: a força que vem do campo!

Kali Simioni
6ª FAVESU destaca os desafios e as oportunidades da Avicultura Nacional

6ª FAVESU destaca os desafios e as oportunidades da Avicultura Nacional

Juliano Rangel
A promoção que apoia as exportações

A promoção que apoia as exportações

Isis Sardella
O compromisso setorial e o papel de cada elo no Brasil

O compromisso setorial e o papel de cada elo no Brasil

Luis Rua
A jornada da sustentabilidade nas propriedades avícolas

A jornada da sustentabilidade nas propriedades avícolas

Luciana Abeid Ribeiro Dalmagro
Produção com responsabilidade

Produção com responsabilidade

Cleber Souza Martins
Biosseguridade na avicultura

Biosseguridade na avicultura

Tabatha Lacerda
Diferença na Fisiologia Embrionária entre as linhagens de Matrizes pesadas

Diferença na Fisiologia Embrionária entre as linhagens de Matrizes pesadas

Guilherme Seelent
Por que medir a taxa de fluxo (vazão) do bebedouro Nipple?

Por que medir a taxa de fluxo (vazão) do bebedouro Nipple?

Como atender à crescente demanda por proteínas livres de antibióticos?

Como atender à crescente demanda por proteínas livres de antibióticos?

Patrícia Marchizeli
Aerossaculite em frangos de corte: onde se iniciam e quais são os fatores envolvidos?

Aerossaculite em frangos de corte: onde se iniciam e quais são os fatores envolvidos?

Jorge Chacón

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE AVÍCOLA

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Os podcasts do setor agrícola em português
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agrícolaagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor agrícola e da pecuária