Patologia e Saúde Animal

Salmonella: Tecnologia de Subunidade, a Nova Geração de Vacinas

PDF

Para ler mais conteúdo de aviNews Brasil Outubro 2021

A Salmonella é um dos principais patógenos encontrados na avicultura atual e seu controle é fundamental para a indústria avícola.

Para prevenir a entrada deste gênero de bactéria nas granjas é necessário um bom programa de biosseguridade e, dentro desse programa, a vacinação é uma importante ferramenta que auxilia no controle de Salmonella.

Novos conceitos no desenvolvimento de vacinas vêm sendo empregados com procedimentos avançados de engenharia genética. Dentre estes novos conceitos, as vacinas de subunidades estão se destacando.

Por definição, uma vacina de subunidade proteica é constituída por fragmentos de proteínas, ou revestimentos proteicos que mimetizam a estrutura do microrganismo de interesse.

salmonella tecnologia de subunidade

Podem ser desenvolvidas através de:

ou por vários antígenos diferentes,

Continua después de la publicidad.

Utilizando suas proteínas imunogênicas.

A produção deste tipo de vacina ocorre através da manipulação de outros microrganismos programados que farão a multiplicação da fração antigênica de interesse.

As vacinas à base de subunidades são produzidas a partir de microrganismos vivos, onde leveduras e bactérias são manipuladas neste processo produtivo, que demandam de condições de cultivo criteriosas e procedimentos rígidos de higiene e contenção de contaminação.

Para desenvolver tais vacinas, o material genético de um antígeno de interesse é inoculado em bactérias ou leveduras de fácil manipulação e cultivo, com capacidade de sintetizar quantidades suficientes das proteínas de interesse.

Tanques fermentativos contendo o microrganismo eleito para a inserção do código genético do antígeno são utilizados para a obtenção da subunidade proteica.

vacinas, salmonella

Após a multiplicação destes organismos, as proteínas formadas são purificadas.

Em seguida, são inativadas através de processos.

O próximo passo é a formulação da vacina incorporando a proteína purificada com os demais componentes da vacina, que podem ser adjuvantes com a capacidade de potencializar a resposta imune, como também conservantes para garantir estabilidade para o imunizante.

Fragmentos de proteína ou polissacarídeos do patógeno de interesse encontrados na vacina de subunidade proteica exigem testes específicos para identificar e garantir a capacidade de produzir resposta imunológica da combinação destas substâncias.
A segurança destas vacinas se deve à sua forma de produção, onde apenas fragmentos de interesse do patógeno estão contidos na formulação, ao invés de um patógeno vivo atenuado.

 

Devido a isso, pode-se minimizar efeitos colaterais para o organismo que será imunizado

 

salmonella tecnologia de subunidade

Modo de Ação

As vacinas de subunidade via administração oral ativam o sistema imune humoral de mucosa, através da entrada da subunidade proteica em enterócitos, células M, ou por reconhecimento de células dendríticas após estímulos prévios do sistema imunológico na lâmina própria.

As células dendríticas apresentam a subunidade proteica como um antígeno para os linfócitos T e, em seguida, são apresentadas para linfócitos B, que se diferenciam em plasmócitos.

Estes plasmócitos são responsáveis pela produção da imunoglobulina A secretória (sIgA), que são secretadas da lâmina própria para o lúmen intestinal, estimulando a imunidade de mucosa.

vacinas, salmonella

Há inúmeras vantagens no uso destas vacinas

1. Redução dos riscos relacionados ao processo de aplicação, pois não proporcionam efeitos colaterais aos indivíduos vacinados, garantindo a segurança do manipulador e das aves;

2. Utilizam a estratégia DIVA (Differentiating Infected from Vaccinated Animals), não interferindo nos métodos de detecção;

3. Alta produção de imunidade de mucosa;

4. Estabilidade do produto no armazenamento e a facilidade de aplicação;

5. Limitação da multiplicação e excreção do patógeno.

A tecnologia de subunidade é a nova geração das vacinas contra Salmonella, pois:

São seguras e proporcionam imunização para as aves,

Estimulando o sistema imune de mucosa,

Proporcionando ampla e prolongada proteção contra as salmonellas paratíficas.

A vacinação, junto da implementação de medidas de biosseguridade durante toda a cadeia de produção avícola, melhora a saúde das aves e produz alimentos seguros e com qualidade.

 

vacinas, salmonella

 

 

 

MAIS SOBRE Patologia e Saúde Animal

ESCUTA A REVISTA EM agriFM

agriFM

JUNTE-SE À NOSSA COMUNIDADE AVÍCOLA

Acesso a artigos em PDF
Mantenha-se atualizado com nossas newsletters
Receba a revista gratuitamente em versão digital

DESCUBRA
AgriFM - Os podcasts do setor agrícola em português
agriCalendar - O calendário de eventos do mundo agrícolaagriCalendar
agrinewsCampus - Cursos de formação para o setor agrícola e da pecuária